Dia Nacional da Suécia

Dia Nacional da Suécia
Dia Nacional da Suécia

A Suécia é um país repleto de tradições, com uma riquíssima cultura e uma bela história. São tantos fatos interessantes escondidos no país, que qualquer brasileiro ficaria surpreso. Para mostrar um pouco de toda essa abundância, será realizada na Feira Escandinava deste ano uma exposição de fotos imperdível, que reunirá diferentes aspectos da nação sueca.

Um dos fatos abordados na exposição será as celebrações do dia 6 de julho, quando a população sai às ruas para homenagear sua nação. Essa data marca o Dia Nacional da Suécia. No mesmo dia, em 1523, Gustav Vasa foi coroado rei e, mais tarde, em 1809, uma nova constituição foi instaurada. Esses dois acontecimentos fizeram com que o dia 6 julho seja uma data repleta de significado e jamais esquecida pelos suecos.

A Suécia hoje é uma monarquia, governada pelo rei Rei Carlos XVI Gustavo e a Rainha Silvia. Eles têm três filhos, sendo a mais velha, a Princesa Victoria, herdeira do trono. A Rainha Silvia nasceu na Alemanha, mas sua mãe era brasileira, por isso ela passou parte da sua infância por aqui. É curioso imaginar que a futura rainha da Suécia terá, em parte, uma descendência do Brasil.

Mas antes que existisse a monarquia ou até mesmo a Suécia como um país estabelecido, já existiam na região os famosos povos vikings, guerreiros desbravadores que entraram para a história dos países nórdicos. Além deles, também viviam por lá um povo nativo não tão conhecido pelos brasileiros, os chamados Samis. Embora em número reduzido, eles existem ainda hoje. São apenas cerca de 70 mil samis no mundo atualmente, sendo que 20 mil deles moram ao norte da Suécia, mantendo toda a sua tradição e estilo de vida.

Samis
Samis

Os Samis escolheram um pedacinho especial do país para morar. A incrível região é agraciada por dois fenômenos naturais: a aurora boreal no inverno e o sol da meia-noite no verão. Isso por si só já é um grande atrativo turístico, mas a região norte ainda oferece muitas outras possibilidades. Lá está o Åre, maior e mais avançado resort de esqui do norte da Europa. Além disso, os visitantes que chegam por lá ainda podem conhecer os povos samis de perto e embarcar em aventuras como um passeio de trenó puxado por cães.

Algumas das celebrações que acontecem que acontecem ainda hoje na Suécia carregam significados seculares. O solstício de verão, por exemplo, é uma das datas comemorativas mais populares no país. O fenômeno da astronomia marca o início do verão, quando ocorre o dia mais longo do ano e, consequentemente, a noite mais curta. Essa data, que acontece por volta do dia 21 de junho no hemisfério norte, tem grande simbolismo para as religiões pagãs, que fazem parte da história da Suécia. Por razões práticas, os suecos comemoram o solstício de verão sempre em uma sexta-feira, entre os dias 19 e 25 de junho.

Solstício de verão
Solstício de verão

O Natal é outro grande acontecimento no ano sueco. As celebrações já começam com um mês de antecedência, durante o período do advento. É aí que as famílias decoram suas casas, com estrelas nas janelas e uma tradicional cabra, posicionada ao lado da árvore de natal. No dia 13 de dezembro acontece uma grande celebração chamada Lucia, onde uma mulher vestida de branco e portando uma coroa de velas, acompanhada de um coral de criadas, traz a luz à escuridão. A Suécia também se orgulha de ter todos os anos a maior árvore de natal de verdade do mundo! Ela tem 38 metros de altura e é decorada com 5 mil luzes e uma estrela de 4 metros no topo.

Os mercados de natal também são uma grande tradição no país. Eles acontecem em todos os finais de semana de dezembro até o dia 25 e oferecem artesanatos e comidas tradicionais, como as famosas almôndegas suecas e o drinque conhecido como Glögg (uma espécie de vinho quente e doce, temperado com especiarias como canela, gengibre e cravo).

Glögg
Glögg

Outro evento importante no calendário sueco é festival Way Out West. O WOW é o maior festival de música do país. Ele acontece durante três dias em agosto, na cidade de Gotemburgo, e recebe cerca de 30 mil pessoas. Pelos seus palcos já passaram grandes nomes como Kanye West, Sonic Youth, Arctic Monkeys, Lily Allen e muito mais.

Também não podemos deixar de ressaltar o Prêmio Nobel, que é oferecido anualmente para as áreas de Química, Física, Medicina, Literatura, Economia e Paz. Para celebrar este momento, a família real sueca preside um grande banquete na prefeitura de Estocolmo, que é seguido de um baile de gala.

Os suecos têm muitas particularidades, coisas que não encontramos em nenhum outro lugar no mundo. Por lá, é muito comum o chamado fika. A palavra não pode ser traduzida exatamente para o português, mas é usada para descrever aqueles momentos específicos do dia quando damos uma pausa nas atividades para tomar um café, comer alguma coisa e relaxar um pouco, acompanhado de amigos e familiares ou mesmo sozinho. Não é à toa que a Suécia é um dos maiores consumidores de café e doces do mundo.

Fika
Fika

Quanto mais conhecemos a cultura da Suécia, mais ficamos encantados, é inevitável. Foi pensando nisso que a Embaixada e o Consulado do país no Brasil se reuniram para contar todas essas histórias durante a Feira Escandinava. O evento vai acontecer durante os dias 8 e 9 de novembro no Clube Pinheiros e a entrada é gratuita.

Suécia, um país cheio de história para contar

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>