Malu Antikadjian é agente de viagem; em seu depoimento a seguir, ela conta sobre seu percurso e suas experiências quando acompanhou um grupo em uma viagem ao Arizona!

Chegamos em Phoenix; entre tantos monumentos pitorescos espalhados pela cidade, chama a atenção o Musical Instrument Museum, aberto em 2009, que guarda a maior coleção de instrumentos musicais do mundo, e entre suas maiores preciosidades, o piano em que John Lennon compôs Imagine.

Posteriormente, pegamos as vans com destino à SEDONA e logo adiante estávamos mergulhados num cenário de encantamento e mistério, com as diversas paisagens alternando-se ao nosso redor, com cenários grandiosos e traços marcantes das milenares culturais nativas dos primeiros que habitaram essas terras. Se nesse trecho já é assim, o que se dirá então quando avista-se o Grand Canyon.

Chegada à Sedona

Enfim, era chegada a hora de entrarmos em SEDONA. Assim que se avista a cidade, já se percebe o encantamento de suas paisagens fantásticas, entrecortadas por tons que oscilam entre o alaranjado e o vermelho-fogo, compondo um cenário inesquecível, com suas casinhas de adobe, galerias de arte e pequenos mas charmosos centros de compras e visitours center – centros de informações ao turista.

Em SEDONA ficamos hospedados no Hotel Hampton Inn, bastante aconchegante e repleto de pessoas hospitaleiras.

A cidade é completamente diferente daquilo que a gente imagina de uma cidade do interior do Arizona; são inúmeras opções de passeios, centros terapêuticos, rituais com Xamãs, enfim, uma cidade em que a tônica é a espiritualidade e onde se fala em Vórtices de energia e mistérios.

O encontro com o Grand Canyon – uma experiência de magia e encantamento

O primeiro dia foi de passeio ao majestoso Grand Canyon, passando pelos desfiladeiros de Oak Greek Canyon, onde se destacam “as montanhas femininas”. Conforme os índios da tribo Yavapai, a área é considerada sagrada, sobretudo por seus sete vórtices de energia, o que atrai espiritualistas, adeptos e discípulos dos cultos Xamânicos herdados dos mais remotos ancestrais dos nativos que primeiro habitaram a América.

Em seguida, rumamos para o Grand Canyon, o Grand Canyon South Rim. Aqui a natureza é tão grandiosa que faz o visitante perceber-se apenas uma parte minúscula de um universo imenso e intrigantemente BELO. Lá embaixo, o majestoso Rio Colorado segue o seu percurso.

Outro destaque é a Watch Tower, uma torre de observação de pedra construída em 1932, declarada patrimônio arquitetônico dos Estados Unidos, local ideal para contemplação de um cenário que as fotos irão registrar.

A estrutura do parque é perfeita, conta com um excelente serviço de Shuttles, onde se pode visitar confortavelmente todos os cinco Rim.

No retorno à SEDONA, parada em Flagstaff para compras e passeio no calçadão Old Town Shops, e outra na lendária Rota 66 (Route 66), e seguimos para o Observatório Lowell, onde uma nova emoção toma conta de todos ao virem através dos grandes telescópios, com muita nitidez, os planetas Mercúrio, Vênus, e o Rei Saturno com suas luas e anéis, além da misteriosa LUA.

No terceiro dia saímos para Cottonwood, “a cidade velha” como chamada pelo povo local, impregnada de toda aquela atmosfera do velho oeste. Também conhecemos o Museu Indígena, com exposição de peças e histórias de todas as tribos que colonizaram essa parte do Arizona.

No quarto dia, o grupo optou por uma vivência com o Xamã nativo – “Rahelio” em Oak Creek Canyon, que nos proporcionou uma experiência de conhecimento e espiritualidade fantástica, demonstrando-nos o som de flauta, toques de tambores e outros instrumentos sagrados utilizados pelos nativos em seus rituais religiosos.

No quinto dia, pela manhã, a opção foi passear a pé pela cidade, almoçar num restaurante indiano, comprar produtos naturais, visitar um lindo local Budista “Amitaha Stufa”, bem próximo ao hotel, e no final da tarde a Igreja de Mãe Maria e Arcanjo Miguel nas montanhas vermelhas do Bell Rock, com uma vista fantástica, terminado com mais um magnífico e insuperável pôr do sol.

No sexto dia, retornamos à Phoenix para um city tour pela área metropolitana, chamada “vale do sol”,e paradas de compras em outlets e shoppings locais. Nos despedimos do Arizona e seguimos viagem ao norte da Califórnia – Mount Shasta, outro local de intensa beleza, também cheio de mistérios, encantamentos, exotismo e místico”

Malu Antikadjian

Uma jornada de deslumbramento e transcendência no Arizona

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>